Acessibilidade

Qualidade, o elemento diferenciador

29 setembro 2017

Competitividade e diferenciação são fatores chave para a sobrevivência das empresas num mercado cada vez mais competitivo.

As questões que se impõem são: como conseguir esse nível de excelência? Que desafios atraem colaboradores e clientes?

Muitas organizações estão tentadas em reduzir custos sem critérios, de facto, a redução dos custos de recursos humanos é geralmente a mais comum. Estas medidas individuais geralmente levam a uma degradação da estrutura e a consequente degradação dos resultados, formando um círculo vicioso até ao colapso da organização.

É preciso inteligência, ousadia e, acima de tudo, atenção aos pequenos detalhes das necessidades dos clientes para poder compreendê-los e, desta forma, oferecer-lhes a excelência. E para isso, o mais apropriado é a fórmula da análise de processos da Empresa, simplificação e eliminação de "MUDAS" (palavra japonesa que significa desperdício). Minimizar o desperdício não significa necessariamente reduzir os custos diretos, pois estes podem ser bons para a empresa se eles aumentarem os lucros.

Existem várias ferramentas de qualidade amplamente divulgadas e validadas por empresas de renome no mercado internacional, como a metodologia Lean, 5S, métodos de resolução de problemas, entre outros.

A ênfase da análise dos processos deve, portanto, ser a satisfação do cliente, pois trata-se de fidelidade e perpetuação. E é neste aspeto que a otimização dos processos internos é fundamental, pois são a única ferramenta que consegue alinhar toda a empresa na mesma direção: satisfazer os clientes e se diferenciar da concorrência. Para agradar o cliente não é criar um relacionamento de submissão, mas atender às suas necessidades com o menor custo possível.

Se para garantir as nossas condições de saúde, realizamos exames médicos regulares, por que é que as empresas não devem fazer o mesmo? Os sistemas de autoavaliação de processos são fundamentais, garantindo assim o cuidado preventivo da "saúde da organização".

O GEFCO tem uma visão de melhoria contínua para satisfazer simultaneamente todas as partes interessadas: equipa humana, clientes e sociedade.

O modelo de gestão da GEFCO é melhorar o desempenho ao reduzir os custos diretos, o número de horas necessárias para realizar tarefas, reduzir falhas, reduzir o impacto ambiental, melhorar as condições de segurança e motivação das equipas.

Sabendo que o processo de melhoria é infinito, a GEFCO realiza permanentemente novos projetos e novos desafios que asseguram a razão da sua existência: Satisfação do Cliente.

Partilhe